sexta-feira, 3 de junho de 2016

Fernando Pessoa


Basta pensar  em sentir

Para sentir em pensar

Meu coração faz sorrir

Meu coração a chorar.

Depois de parar e andar

Depois de ficar e ir,

Hei de ser quem vai chegar

Para ser quem quer partir ...

Viver é não conseguir.

- Fernando Pessoa - 


NAVE AL MARE by ...: SIMONE 45

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 45: Já acordei iluminando o espaço.  Já percorri o dia alimentando vontades.  Já fui dormir alimentando sonhos.  Sou toda intensa, a...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 44

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 44: E eu que gostava tanto de presença me encontro agora digerindo ausências, descobrindo os abandonos dos sentimentos bons.  Furto sorriso...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 43

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 43: Nas minhas saudades mais bonitas espero o seu carinho exagerado e louco. Insano esse sentimento de sentir falta do que sequer conseg...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 42

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 42: Deus, saudade desse sentimento que devora sem matar, Que arrebenta o coração sem despedaçar, que arrebata a alma, o corpo e ainda as...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 41

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 41: Há uma estupidez deliberada no amor.  Queremos nos fartar desse sentimento até que sejamos totalmente esgotados por ele. Há um tor...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 40

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 40: Que o meu corpo te fale em gestos e fatos, Que o meu corpo te sinta em todos os tatos, Que o meu corpo te encontre em cada pedaço meu....

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 39

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 39: Hoje senti falta da insistência sem senso,  do seu sentimento desesperado de chamar minha atenção.  Hoje quis seu dissenso fora ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 38

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 38: Hoje esqueci de amanhecer, Dia de um cinza claro, que não doura, Contido, em sentimento e luz. Não há dia mais produtivo que esse, ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 37

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 37: Sentimento que invento, Sobre o tempo que enfrento, Tome tento, Voa ao vento, Diz, atento, que o inverno já chegou Senti...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 36

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 36: Hoje o tempo alcançou minha vontade,  arrematou memórias que resistiam findar; Hoje arrematei sentimentos espalhados pelo coração...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 35

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 35: Nem sei mais em que tempo  meus olhos deram de esquecer você,  nem quando meus ouvidos  f echaram-se ás suas palavras,  ou min...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 2

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 2: "Hoje amanheci sol.  Adjetivando os sentimentos que guardei por tempo demais.  E do que fui ficou a saudade.  Sinto falta de tu...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 23

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 23: Racionalizo muito tudo que me acontece.  Ás vezes tento fugir disso, mas negar isso,  ou tentar ultrapassar esse limite é colocar ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 24

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 24: Sempre consegui vislumbrar todas as nuances que determinadas atitudes minhas pudessem assumir.  Descobri que não tenho a capacidade d...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 28

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 28: Das várias vertentes que a vida nos oferece,  escolhemos a que melhor nos convém,  sem perceber que conveniência tem preço.  Cons...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 25

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 25: Por vezes reconhecemo-nos nos outros. Passamos dias, horas ou variados momentos com pessoas diversas, numa distância emocional tamanha ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 34

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 34: Amanheci com a luz do sol batendo no meu rosto,  vindo de uma fresta da janela mal fechada.  Irritada com aquele feixe utilizei a...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 27

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 27: Amo a diversidade que existe em mim,  com a mesma intensidade que a detesto. Momentos há em sou espectadora  de minha própria ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 31

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 31: Não, não há melhor maneira de amar se não for pra ser inteiro!  Inseguranças e medos?  Podem até existir, mas que venham acompanh...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Há uma eterna inquietação em meus sentimentos.   Constantemente me restrinjo ao singular  apesar de  querer ser sempre plural.  ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 29

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 29: Photo by Peter Coulson Meu coração anda abusado. Quer o improvável; Mas nunca o impossível...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 32

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 32: Vez ou outra eu me permito pequenas insanidades,  algumas ilusões e diversas possibilidades.  Trafego entre o lúdico e o real, ent...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 30

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 30: Tem dias que o coração fica pesado, falta ar, falta amor. É quando o vazio pesa. Tem coração que é pesado. Tem vazio que puro ar...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: De todas as formas de viver e conviver,  buscamos sempre aquela que nos dá mais prazer.  Entretanto este prazer é volátil demai...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 33

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 33: Hoje pedi ao tempo que me trouxesse seus olhos, Que eu pudesse me ver neles como você me via Inabalável e consistente Hoje pedi ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Disse certa vez que, quando criança,  não percebemos a importância de fatos, momentos e lugares.  Não entendemos a importância dos en...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 20

NAVE AL MARE by ...: SIMONE 20: Hoje procuro nos gestos os tons que me faltam aos olhos.  Arremato as idéias soltas que em meus devaneios espalhei por cantos dive...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Todo gesto que em mim resvala,  deixa o cheiro,  o toque, a fala,  mesmo quando não vejo, mesmo que nada valha.   O que importa é o q...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Tem dias que amanhecemos nublados.  Tristes, não vislumbramos se fomos nós que "nublamos"  ou o sol que nos abandonou.  ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Tentar pode ser um gesto desesperado de recuperar o já perdido.  Insistir é respirar a esperança de que o perdido possa ser novamente v...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Tem dias que sinto... outros que finjo sentir. Alguns que espero sentir... Outros que quero sentir. E no final, sentir parece ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Hoje retraio o riso e me fecho.  O meu tempo já está escasso pra tanto sonho que ficou volátil demais.  Dias há em que a vida sopra...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Dias há em que amanhecemos... Momentos de imensa luminosidade. E nestes dias de amanhecer não falta nada... Nada sequer existe,...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Nem sei mais em que momento esqueci de mim mesma,  ou se o esquecimento sou eu tentando acalmar minha alma,  esvaziando-a de tudo que ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Provoco em mim necessidades indizíveis  e desejos inconfessáveis.   Transfiro pra que você o ônus,  o  bônus e tudo que deriva de ...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Conto dias que passam  como quem espera alguma novidade. Dias passam... Novidade alguma. E eu insisto em contar  pra me sent...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: É necessário tempo, gesto e muita paciência, para entendermos a importância dos momentos que vivemos.  Tempo pra sentirmos essenc...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Acorda menina.  Desperta.  Abra os olhos e enxerga o mundo.  Veja, exagera, creia no impossível.  Jogue-se pra ver se a vida te agu...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Quem dera você me quisesse sem subterfúgios,  nem pressa,  um querer leve,  descompromissado,  moleque e menino.  Quem...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Dei pra revisitar memórias,  reviver loucuras,  rearrumar os móveis da casa,  revisar decisões e aparar arestas.  Súbito reaviv...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Hoje deixei o sol entrar pela janela !  Queria o calor da constância dos amores maduros,  o poder das mãos entrelaçadas,  esse que...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Hoje inventei de revisar sentimentos!  Tola eu que abuso dessa minha capacidade d e controlar a vida em minha volta,  e nem percebo...

NAVE AL MARE by ...: SIMONE

NAVE AL MARE by ...: SIMONE: Escrever é tão difícil,  mas necessário pra desaguar os sentimentos que me afogam,  vindos do peito, saindo pela boca.  Sou te...

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Diversos



Texto doze





Nem sei mais em que momento esqueci de mim mesma, 
ou se o esquecimento sou eu tentando acalmar minha alma, 
esvaziando-a de tudo que acho que sei, 
pra ver se ela acha o prumo, 
encontra a bússola, 
e me remete ao norte, 
seguindo ventos nordestes, 
vindos do leste, 
pelos caminhos do sul.

Simone Santos

Texto onze





Provoco em mim necessidades indizíveis 
e desejos inconfessáveis.  
Transfiro pra que você o ônus, 
o bônus e tudo que deriva de mim, pra que me inspire. 
Compartilho esse sentimento inteiro de esperar que o seu coração 
esteja pleno de mim, 
e então te provoco, 
e reivindico a sua insanidade emocional 
para acabar com essa agonia 
que me consome e que some em mim.


Simone Santos

Texto dez



Conto dias que passam 
como quem espera alguma novidade.
Dias passam...
Novidade alguma.
E eu insisto em contar 
pra me sentir sempre esperando...
Os dias...

Simone Santos

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Texto nove



É necessário tempo, gesto e muita paciência, 
para entendermos a importância dos momentos que vivemos. 

Tempo pra sentirmos essencialmente o momento ido. 
Gesto para que possamos ter o momento vivido. 
Paciência para percebermos que tempo e gesto um dia se fundem. 
Então, percebemos todas as lembranças, de uma memória extremamente seletiva. 
Sim, só lembramos o que nos interessa imensamente, 
porque assim nos mantemos vivos além do tempo real, 
pois a lembrança nos remete a uma saudade imanente.
Nesse tempo, desse gesto é que eu me fiz paciente. 
E são essas lembranças que me tornam tão intensa hoje, 
querendo reter as sensações que emanam dos gestos ofertados por todos.
Quero essa eterna sensação de me remeter no tempo, 
compactuando gestos, por vezes dispersos, 
sempre intensos e nem sempre descompromissados, 
que alimentam minha alma de uma intensidade incomensurável.
Que a vida me seja assim: 
paciente e emergente em gestos e tempos.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Texto oito




Foto: Josh Separzadeh

Acorda menina. 

Desperta. 
Abra os olhos e enxerga o mundo. 
Veja, exagera, creia no impossível. 
Jogue-se pra ver se a vida te aguenta. 
Sê urgente e breve pra sentir melhor o vento no seu rosto. 
Aprende que nada resiste ao seu contentamento. 
Divida o riso, multiplique os abraços, faça amor com a vida. 
Encante, decepcione, ame desesperada e urgentemente. 
Mas, principalmente, e antes de tudo isso, 
como diz Fernanda Mello: 
se perdoa, pois a vida te merece inteira.


Simone Santos

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Texto sete





Quem dera você me quisesse sem subterfúgios, 
nem pressa, 
um querer leve, 
descompromissado, 
moleque e menino. 

Quem dera estivesse inteira, 
sorrateira em seu universo, e
fizéssemos mais que quermesses na alma, 
fizéssemos um caso perfeito. 

Quem dera pudéssemos ser feito caderno de caligrafia, 
um cansativo exercício, 
pra escrita perfeita. 

Quem dera fizéssemos dos sonhos 
as pontes para os nossos anseios 
virarem brisa suave 
no peito de nossas almas 
cansadas de tanto ninguém. 

Quem dera quiséssemos tanto 
que nem percebêssemos 
que o tempo tudo abate. 
Quem dera...

Simone Santos

Texto seis





Dei pra revisitar memórias, 
reviver loucuras, 
rearrumar os móveis da casa, 
revisar decisões e aparar arestas. 
Súbito reavivei todos os sentimentos guardados a muito custo. 
Tola, alimentei equívocos emocionais típicos 
de quem acredita demasiadamente em reciprocidade. 
Nada é constante, 
tudo é irremediavelmente mutável. 
Só o que permanece é o que já aconteceu, 
é o que fica na memória que se quer preservar, 
como o retrato de família na parede da sala, da velha casa, 
de uma infância perdida no espaço atemporal e puramente emocional. 
Preciso ultrapassar meus dias, minhas memórias, 
meus temporais interiores. 
Há muitas de mim, aqui no meu peito, 
pouco espaço emocional, e uma infinidade de perspectivas. 
Sonho o imaterial, incorporo o irreal 
e crio a minha verdade: 
há reparos irreparáveis.

Simone Santos

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Texto cinco




Hoje deixei o sol entrar pela janela ! 

Queria o calor da constância dos amores maduros, 
o poder das mãos entrelaçadas, 
esse que nos remete a vôos arriscados, 
ante a segurança de ter quem anda ao nosso lado. 
O coração anda apertado, e os olhos deram de ver 
por detrás das cortinas dos sonhos desfeitos! 
Acordei limpando os olhos a alma! 
Vi que eu não sou senão o que eu quiser 
e sendo posso fazer o que melhor sei: viver!

Simone Santos

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Texto quatro





Hoje inventei de revisar sentimentos! 

Tola eu que abuso dessa minha capacidade de controlar a vida em minha volta, 
e nem percebo quão fácil é viver uma vida inventada. 

Daí me perco no delírio insano – 
como se algum delírio assim não o fosse – 
de te ver tão meu, sem nunca ter sido. 

Mas já me basta essa minha estória, inventada em mim! 
E nem percebo que não fui eu que a construí 
e sim ela que me escolheu! 

E nesse instante parece até 
que a vida deixa correr frouxo 
essa breve sensação de felicidade, 
para que eu tenha alguns minutos 
de extrema saciedade! 
Quero isso e muito mais!


Simone Santos

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Texto três






Escrever é tão difícil, mas necessário pra desaguar os sentimentos que me afogam, vindos do peito, saindo pela boca. 

Sou textualmente inteira, literalmente sentimental, 
mas racionalizo as emoções – como se possível fosse. 

No limite da criação do texto me vejo acuada e só, 
é a escrita que me remove o medo e a solidão. 

Daí nasce o texto, desse parto textual de descomunais sentimentos! Porque tanto sofrer nesse oficio de transcrever sentimentos em palavras? 
E me responde o texto nascituro: 
Porque ainda não era a hora de nascer. 
Escrever não é um exercício fácil !

sábado, 17 de janeiro de 2015

Texto Dois




"Hoje amanheci sol. 
Adjetivando os sentimentos que guardei por tempo demais. 
E do que fui ficou a saudade. 
Sinto falta de tudo que nunca houve, e de todos os momentos ficou somente um instante: 
o que nem aconteceu. 
O sonho foi mais forte que a realidade, 
e faz falta aquilo que jamais foi. 
Quem dera pudesse domar a vida em mim, 
o que faço é só retê-la, e de vez em quando, 
ela ainda acha um jeito de se intensificar sem autorização." 

Simone Santos

texto um


"Toda segunda a menina acordava com duas vontades: 
abraçar o mundo e sentir borboletas no estomago. 
Acreditava nos sentimentos bons que lhe dominavam os sonhos, 
na capacidade das pessoas de amar incondicionalmente, 
na leveza da alma que quer sentir outra alma, igualmente leve. 
Quando se tem alma de menina, é assim, 
a vida é branda, a semana é curta e o coração 
é do tamanho do mundo que se imagina um dia abraçar."


Simone Santos

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Nublado



Tem dias que amanhecemos nublados. E de tão triste nos perdemos no entendimento se fomos nos que "nublamos" ou o sol que nos abandonou. Quero amanhecer ensolarada. Nublar dói demais.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Atrite-se, desbaste-se, descubra-se: Ame


”Pedras no Rio” Coleção Reflexão de Hàmlid -  (Paulo Angelim)

Roberto Crema é um pensador brasileiro. Dele aprendi uma grande máxima:

“Ninguém muda ninguém; ninguém muda sozinho; nós mudamos nos encontros”.

Simples, mas profundo, preciso. É nos relacionamentos que nos transformamos.


Howard Hendricks disse que os dois fatores que mais nos influenciam e nos transformam são os livros que lemos, e as pessoas com as quais convivemos. Hoje, vou ficar com o segundo fator.

Pois bem. Esses pensamentos acima saltaram imediatamente à minha mente, quando tive uma prova concreta do quanto somos transformados, do quanto podemos aprender a partir dos encontros, desde que estejamos abertos e livres para sermos impactados pela idéia e sentimento do outro.

Foi num dos encontros que a vida nos proporciona, ou que nós nos permitimos experimentar, e que conto a seguir. Estava em minha igreja, conversando com um irmão, médico, pensador e agora escritor, José Rubens. Ao longo da conversa caímos no assunto relacionamentos humanos. Ele me sugeriu uma analogia extremamente reveladora. Ora, como toda analogia, ela ajuda a ilustrar uma faceta ou perspectiva de uma idéia. Lógico que analogia nenhuma desenha todo o quadro, toda a cena – se é que exista um único quadro. O fato é que ele me fez a seguinte provocação:

“Paulo, você já viu a diferença que há entre as pedras que estão na nascente de um rio, e as pedras que estão em sua foz?”

Eu disse que não, e ele me explicou:
“As pedras na nascente são toscas, pontiagudas, cheias de arestas. À proporção que elas vão sendo  carregadas pelo rio, sofrendo a ação da água e se atritando com as outras pedras, ao longo de muitos  anos, elas vão sendo polidas, desbastadas. As arestas vão sumindo. Elas ficam mais orgânicas, menos toscas, mais suaves, lisas, e o melhor: vão ficando cada vez mais parecidas com as outras, sem  necessariamente serem iguais. Quanto mais longo o curso do rio, mais  evidente é o fenômeno.”

Depois disso, ele fechou a idéia:
“É a mesma coisa com as nossas vidas. Se nos permitimos estar em contato com as pessoas, sendo conduzidos pelo rio da vida, vamos, no “atrito positivo” (contato) com o próximo, eliminando arestas,  desbastando diferenças, parecendo-se e harmonizando-se mais uns com os outros, sem necessariamente perdermos nossa identidade.”

Pensei bem, e vi que se trata de uma verdade. Não nego que alguns desses contatos e atritos nos deixam marcas, tiram lascas de nós. Mas mostre um coração sem marcas e lhe mostro um coração que não amou, que não viveu. Um coração que não chorou, nem sentiu dor. Um coração sem sentimentos. E sentimentos são o tempero de nossa existência. Sem eles, a vida seria monótona, árida. O fato é que não existem  sentimentos, bons ou ruins, sem a existência do outro, sem o seu contato.

Passar pela vida sem se permitir o contato próximo com o outro, é não crescer, não evoluir, não se  transformar. É começar e terminar a existência com uma forma tosca, pontiaguda, amorfa.

Quando olho para trás, vejo que hoje, carrego em meu ser, várias marcas de pessoas extremamente importantes. Pessoas que, no contato com elas, me permitiram ir dando forma ao que sou, eliminando arestas, transformando-me em alguém melhor, mais suave, mais harmônico, mais integrado. Outras, sem dúvida, com suas ações e palavras me criaram novas arestas, que precisaram ser desbastadas. Faz partes. Reveses momentâneos. Servem para o crescimento. A isso chamamos experiência.

Penso que exista algo mais profundo ainda nessa análise. Começamos a jornada da vida como grandes pedras, cheias de excessos. Os seres de grande valor, percebem que ao final da vida foram perdendo todo os excessos que formavam suas arestas, se aproximando cada vez mais de sua essência, e ficando cada vez menores, menores, menores. Quando finalmente aceitamos que somos pequenos, ínfimos, dada a compreensão da existência e importância do outro, e principalmente da grandeza de Deus, é que finalmente nos tornamos grandes em valor.

Já viu o tamanho do diamante? Sabes quanto se tira de excesso para chegar ao seu âmago. É lá que está o verdadeiro valor.

Pois Deus fez a cada um de nós com um âmago bem forte e muito parecido, constituído de muitos elementos, mas essencialmente de amor. Deus deu a cada um de nós essa capacidade, a de amar. Mas temos que aprender como. Para chegarmos a esse âmago, temos que nos permitir, através dos relacionamentos, ir desbastando todos os excessos que nos impedem de usá-lo, de fazê-lo brilhar.


Por muito tempo em minha vida acreditei que amar significava evitar sentimentos ruins. Não entendia que ferir e ser ferido, ter e provocar raiva, ignorar e ser ignorado, faz parte da construção e do aprendizado do amor. Não compreendia que se aprende a amar sentido-os e superando-os. Ora, esses sentimentos simplesmente não ocorrem se não houver envolvimento. E envolvimento gera atrito.

Minha palavra final: “atrite-se”.

Não existe outra forma de descobrir o amor. E sem ele a vida não tem significado. Se você acha que não, veja as palavras do apóstolo Paulo:

“Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.” (1 Co 13:1-3)


Atrite-se, desbaste-se, descubra-se: AME!"




sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Nata!!!


O que gosto no Natal?
Desse sentimento de solidariedade,
Do desarme de sentimentos,
Que deixa todos abertos a 
Abraços, beijos e uma boa dose de compreensão!!!
Grande abraço a todos:
FELIZ NATAL

sábado, 26 de novembro de 2011

Estações


Em que pese ser primavera lá fora, ainda é outono em meu coração!!!

domingo, 7 de agosto de 2011

"Apesar de..."



(...) Uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra pra frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora de minha própria vida. Foi apesar de que parei na rua e fiquei olhando para você enquanto você esperava um táxi. E desde logo desejando você, esse teu corpo que nem sequer é bonito, mas é o corpo que eu quero. Mas quero inteira, com a alma também. Por isso, não faz mal que você não venha, esperarei quanto tempo for preciso.


Clarice Lispector
In: Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres

sexta-feira, 6 de maio de 2011

...


“Nada em mim foi covarde, nem mesmo as desistências: desistir,

ainda que não pareça, foi meu grande gesto de coragem.”

Caio Fernando Abreu

...

Lucidez




Descobri que preciso de uma certa dose de fantasia pra manter minha lucidez!!!!!

Bjs


quinta-feira, 31 de março de 2011



"Todos nós usamos máscaras e chega uma hora que não podemos removê-las sem remover nossa própria pele." - Andre Berthiaume

Bjs.


segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Alta Tensão - poema de Bruna Lombardi




Eu gosto dos venenos mais lentos
dos cafés mais amargos
das bebidas mais fortes
e tenho apetites vorazes
uns rapazes que vejo passar
eu sonho os delírios mais soltos
e os gestos mais loucos que há
e sinto uns desejos vulgares
navegar por uns mares de lá
você pode me empurrar pro precipício
não me importo com isso
eu adoro voar.
In: O perigo do dragão





sexta-feira, 22 de outubro de 2010




"O que as pessoas mais desejam 
é alguém que as escute de maneira calma e tranqüila.
Em silêncio.
Sem dar conselhos.
Sem que digam:
---"Se eu fosse você".
A gente ama não é a pessoa que fala bonito.
É a pessoa que escuta bonito.
A fala só é bonita quando ela nasce de uma longa e silenciosa escuta..."
(Rubem Alves)